O técnico Marcelo Chamusca deixou o futuro no Vitória em aberto após a eliminação precoce no Campeonato Baiano. Ele que vai conversar com a diretoria do clube nesta segunda-feira (18), para evitar tomar qualquer decisão no calor do momento. O Leão perdeu para o Fluminense de Feira por 2 a 0, na tarde deste domingo (17), em pleno Barradão, pela nona e última rodada da primeira fase do estadual.

 

“Agora depois do jogo é muito prematuro eu falar de qualquer situação em relação ao meu futuro e ao futuro do clube. Até porque o meu estado emocional depois de tudo o que aconteceu e que vem acontecendo. A gente vem de uma sequência sem conseguir vencer. Eu sou um profissional que entrego a minha vida em todos os clubes que passei e tenha certeza que essa estatística que estou vivenciando aqui no Vitória hoje me deixa muito triste, traz um desgaste emocional muito grande, porque 90% das equipes que trabalhei, a minha estatística foi muito superior ao que está acontecendo aqui. Mas vamos aguardar amanhã, com mais tranquilidade, a gente senta, conversa e define como é que vai ficar as coisas. Tem que ouvir o clube também. É um momento muito difícil para se tomar qualquer decisão. Quando eu vejo determinados clubes tomando decisões, não que sejam precipitadas, principalmente no calor do jogo eu não concordo. Precisa-se ter um pouco de tranquilidade”, afirmou na entrevista coletiva. “Não houve nenhum contato agora depois do jogo. Até entendo o sentimento de todos. QUem conversou comigo foi Alarcon Pacheco agora nos vestiários, mas não houve nenhum contato da diretoria comigo não”, completou.

 

O Vitória termina sua participação do Baianão deste ano na quinta colocação ao permanecer com 13 pontos. Na coletiva, Chamusca dividiu a responsabilidade da queda precoce na competição com diretoria e o elenco.

 

“Não existe num momento como essa a culpa. Existem os culpados, todos nós somos culpados. Eu, como treinador, pela minha incapacidade de conseguir os objetivos do clube. A diretoria que me contratou e contratou o elenco, a maior parte deles com o meu aval. Os atletas que dentro de campo de jogo tem também a responsabilidade de jogar. Então não existe culpado. Todos nós somos culpados pela nossa incapacidade e nossa incompetência de em três jogos, primeiro contra a Juazeirense, ali a gente tinha 12 pontos e podia sair de lá com 15 pontos e matematicamente já estar classificado. Depois, aqui em casa com o Atlético de Alagoinhas, abrimos e depois tomamos a virada no segundo tempo. E hoje, aqui contra o Fluminense. Não adianta eu fazer levantamento de estatística, porque estatística num momento como esse é cortina de fumaça. Nós fomos muito superiores em todos os aspectos do adversário. Nós não conseguimos ser efetivos e ganhar o jogo e nós precisávamos ganhar. Eu divido com todos aqueles que fazem parte do clube a minha cota de responsabilidade nesse momento triste que o clube está vivendo”, disse.

 

O Leão volta ao gramado no próximo sábado (23), às 16h, para enfrentar o ABC, no Frasqueirão. A partida valerá pela sétima rodada da Copa do Nordeste, onde o time encontra-se fora do G-4, na quinta posição com cinco pontos no Grupo A.

 

BN

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here