O Produto Interno Bruto (PIB) da Bahia registrou queda de 3,4% em 2015, ficando em R$ 245 bilhões. Os dados fazem parte das Contas Regionais, divulgadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira, 16.

A redução foi motivada pelos desempenhos negativos na indústria (-7,9%) quanto nos serviços (-3%). Já o setor da agropecuária cresceu 9,9% de 2014 para 2015.

Da mesma forma que a Bahia – que na série histórica iniciada em 2002 só havia sofrido redução de 0,3% em 2009 -, todos os outros estados brasileiros e o Distrito Federal sofreram queda simultaneamente, o que é algo inédito na pesquisa. os dados também mostram a redução de 3,5% do PIB nacional.

“Esse resultado de queda de todas as unidades da federação ainda não tinha sido visto, inclusive por nenhuma série já estimada pelo IBGE antes disso. É um resultado inédito que afeta todos os estados da federação”, explica o gerente das Contas Regionais, Frederico Cunha.

Com o resultado, a Bahia ocupa a 17ª posição relativa da variação em volume do PIB. Já em relação ao PIB per capita, o estado está na 21ª colocação, com o valor de R$ 16.115,89. O maior PIB per capita foi o do Distrito Federal (R$ 73.971,05), enquanto o Maranhão teve o menor (R$ 11.366,23).

O Mato Grosso do Sul, por sua vez, obteve o melhor desempenho em 2015, registrando redução de 0,3%, em parte pelo bom ano da agropecuária local, que cresceu 10,1% neste período. Os setores de Indústria (-4,4%) e Serviços (-1,6%), no entanto, derrubaram decisivamente a taxa no estado.

“Os estados que tiveram melhor resultado foram bastante influenciados pela agropecuária. O que pesou negativamente foi a indústria de transformação, o comércio e a construção civil. Todas essas atividades tiveram quedas expressivas”, acrescenta Frederico.

O Amapá foi o estado com a redução mais acentuada em seu PIB, com taxa de -5,5%. As principais contribuições negativas foram dos setores de Indústria (-16,9%) e Serviços (-4,1%). Eles foram puxados para baixo, principalmente, pelas atividades de Construção (-17,9%) e de Comércio, manutenção e reparação de veículos automotores e motocicletas (-14,5%).

Com destaque para a soja, agricultura baiana cresceu 14,9% em 2015

O desempenho da agropecuária baiana, com valor adicionado de R$ 17,84 bilhões em 2015 e crescimento de 9,9% em relação a 2014, foi impulsionado, em larga medida, pela agricultura (inclusive atividades de apoio à agricultura e pós-colheita), que cresceu 14,9% no período. O destaque positivo ficou, sobretudo, com o cultivo de soja.

A pecuária (inclusive atividades de apoio à pecuária), por sua vez, apresentou queda de 2,6% entre 2014 e 2015. Com o bom desempenho, a agropecuária aumentou sua participação no PIB baiano, de 7,9% em 2014 para 8,3% em 2015.

Em 2015, o setor industrial da Bahia gerou um valor adicionado de R$ 47,77 bilhões, caindo 7,9% em volume frente a 2014, com desempenhos negativos nas indústrias de transformação (-6,7%), extrativas (-10,3%) e na construção (-11,3%). A atividade de eletricidade e gás, água, esgoto, atividades de gestão de resíduos e descontaminação foi a única a ter variação positiva (+1,5%).

Na Bahia, os serviços, com valor de R$ 150,36 bilhões em 2015 e queda de 3,0% em relação a 2014, sofreram forte influência da atividade de comércio, manutenção e reparação de veículos automotores e motocicletas, que recuou 9,4%. Assim, em 2015, além da agropecuária, a indústria também ganhou participação no PIB baiano (+ 1,1 ponto percentual), enquanto o setor de serviços, ainda que continue sendo o mais representativo, perdeu participação, de 71,1% para 69,6% do PIB do estado, entre 2014 e 2015.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here