As indústrias de bicicletas do Polo Industrial de Manaus (Amazonas), principal unidade produtiva do setor no país, fabricaram 52.211 bikes em janeiro, resultado 49,8% maior que as 34.849 unidades confeccionadas no mesmo período do ano passado. Os dados foram divulgados pela Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares – Abraciclo.

O começo de ano positivo nas indústrias é impulsionado pela perspectiva de aumento das vendas de bicicletas. Na Bahia, acrescido ao comércio de bikes novas, os empreendedores apostam em serviços especializados de manutenção e no marketing feito em eventos de ciclismo. As estratégias são aplicadas para elevar as vendas de 2018 em até 30%, na relação com 2017.

Na Sportix Bike Shop, loja de bicicletas localizada na Pituba, o empreendedor Cristian Berton investiu em peças e acessórios para os praticantes do ciclismo. Produtos que podem ser instalados na bike dentro do estabelecimento, por meio dos serviços ofertados por profissionais especializados.

“Na análise do negócio, cerca de 70% das vendas mensais são de peças de oficina e acessórios de uso ciclístico. A parte complementar de 30% é obtida com o comércio de bicicletas novas”, conta Berton.

O empreendedor espera que a venda de produtos e serviços cresça entre 20% a 30% em 2018, na comparação com o desempenho do ano passado. A participação de Berton em eventos de ciclismo e campanhas que incentivam o uso das bikes, especialmente nas áreas urbanas, faz parte do planejamento de divulgação da marca para os potenciais consumidores do setor.

Denilio Pereira é proprietário de loja especializada em produtos para ciclismo - Foto: Alessandra Lori | Ag. A TARDEDenilio Pereira é proprietário de loja especializada em produtos para ciclismoAlessandra Lori | Ag. A TARDE

Universo dos usuários

Para Diógenes Silva, analista do Sebrae-BA, fazer parte da cultura que envolve a prática do ciclismo facilita o processo de gestão do negócio. Para quem não pedala, vale a obtenção de conhecimentos sobre o universo dos usuários do veículo de duas rodas.

“Ficar próximo da ideologia que envolve o ciclismo, onde cabe mencionar questões que envolvem uma mobilidade que não é poluente e contribui para a sustentabilidade, torna possível aproveitar as oportunidades de campanhas e eventos que impulsionam as vendas”, explica Silva.

A necessidade de trabalhar o marketing da New World Bike, negócio voltado para a venda de bicicletas e acessórios para ciclistas, é um desafio para o empreendedor Denilio Pereira. Há 15 anos no mercado de bicicletas de Salvador, o empresário afirma que falta apoio de instituições públicas para a promoção de eventos de ciclismo, principal fonte de divulgação da empresa.

“Promover um evento de ciclismo na cidade ainda é caro, os órgãos públicos cobram taxas elevadas para a realização de corridas de rua. Já tentei apoiar iniciativas que tinha que pagar cerca R$ 10 mil para ficarem aptas na realização de uma corrida. É preciso incentivar mais o hábito de pedalar”, diz Pereira.

Estrutura necessária

O empresário da New World Bike explica que o crescimento do setor de bicicletas, mesmo com os desafios de marketing em eventos de ciclismo, foi incentivado por obras estruturais na cidade, principalmente pela construção de ciclovias.

De acordo com João Ludgero, vice-presidente da Abraciclo, a expectativa pela retomada das vendas no setor é ligada ao processo de mudança das estruturas urbanas e a previsão de melhora da economia brasileira.

“A projeção de retomada do crescimento econômico em 2018, mesmo que de forma lenta, é um fator de grande incentivo para as indústrias do setor. No Polo Industrial de Manaus, a produção de bicicletas deste ano será 9% maior que no ano passado”, explica Ludgero.

O vice-presidente acrescentou que o aumento das importações e exportações no Polo Industrial de Manaus é outra consequência da confiança do setor. No comparativo do mês de janeiro de 2017 com o mesmo período de 2018, a exportação de bicicletas passou de 660 para 718 unidades. Na importação, ocorreu o avanço de 11.201 para 17.515 bikes importadas por empresas do segmento.

Fonte: A Tarde

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here