O mercado de trabalho no Brasil tem aproximadamente 12,6 milhões de pessoas aptas para trabalhar, mas que se encontram desempregadas, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), relativos ao terceiro trimestre de 2019.

O cenário de empregabilidade, desde a procura à seleção do melhor perfil, vem se mostrando cada vez mais competitivo. Apesar do crescente número de trabalhadores informais no Brasil (38 milhões), o último balanço feito pelo IBGE demonstra que ainda há uma estabilidade no número de empregados com carteira assinada, representando cerca de 33 milhões de brasileiros.

As expectativas para o ano de 2020 é de crescimento econômico devido à alta do setor privado, e isso pode aquecer a geração de empregos no Brasil. Diante desse cenário esperançoso, Yang Mendes, diretor da escola de oratória Eloquence, aconselha candidatos que já estão de olho na abertura das vagas de emprego a se prepararem para as entrevistas. 

O perfil que um entrevistado apresenta pode direcioná-lo à vaga ou afastá-lo dela, portanto, respostas sobre suas qualidades e defeitos devem ser preparadas antes da entrevista“, orienta o diretor. 

Segundo Yang, um ponto de interesse comum para os avaliadores é a naturalidade do candidato nas seleções. “Os selecionadores já imaginam que você está querendo passar uma boa impressão, então não é necessário forçar a barra. Muitas vezes a ansiedade atrapalha o desempenho, pois queremos mostrar muito e ficamos sempre à espera da oportunidade“, instrui. 

O consultor em oratória explica que fugir dos clichês, tanto em aspectos positivos quanto negativos, é o foco para quem quer garantir uma vaga no mercado. “Pode-se abordar as características positivas através de diversas formas. Falar sobre as qualidades que líderes de outras empresas apontavam em você e como isso o ajudava a ter ainda mais resultado ressalta seu perfil, sem usar obrigatoriamente respostas de senso comum“, exemplifica.

Yang aponta ainda que os entrevistados geralmente desviam de responder sobre os defeitos, ou que muitas vezes não sabem falar a respeito. “Evite falar clichês como ‘meu defeito é ser perfeccionista’. Você pode, por exemplo, explicar que tinha dificuldades para trabalhar em equipe, mas que tem superado isso com a consciência dessa necessidade e tem visto resultados muito positivos em relação a sua postura. Torne sua abordagem sincera, mas de modo que sempre haja uma margem para melhorias“, conclui.

Para mais dicas e informações sobre oratória em entrevistas de emprego, acesse o site eloquence.com.br ou a página do instagram instagram.com/eloquenceoratoria/.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here