Mulheres protestavam no fim da tarde desta segunda-feira (13) na Cinelândia, Centro do Rio, contra a PEC 181, que pretende criminalizar o aborto em todos os casos no Brasil, inclusive após estupros.

Com faixas como “Útero laico” e “lugar de estuprador não é na certidão”, o grupo ocupou as escadarias da Câmara Municipal durante o ato. Depois, percorreu vias do Centro. Por volta das 19h20, homens mascarados se uniram ao ato das manifestantes. Meia-hora depois houve um princípio de confusão quando PMs do Batalhão de Choque chegou ao ato, em frente a Alerj. Os agentes soltaram uma bomba de gás perto da assembleia.

Entre as manifestantes, a universitária Larissa Martins falou sobre a PEC 181. Ela afirmou que a aprovação da proposta restringe os direitos das mulheres. “O coletivo das mulheres veio aqui hoje contestar a PEC 181. Nós estamos chamando de Cavalo de Tróia. Seria um presente para as mulheres, mas uma das emendas está considerando o aborto crime em casos de estupro. A gente tem que ampliar os nossos direitos e não restringi-los”, disse Larissa.

Principio de confusão entre PMs e manifestantes perto da Alerj (Foto: Marcos Serra Lima/G1)

Principio de confusão entre PMs e manifestantes perto da Alerj (Foto: Marcos Serra Lima/G1)

Larissa participa de ato contra a PEC no Centro do Rio (Foto: Matheus Rodrigues/G1)

Larissa participa de ato contra a PEC no Centro do Rio (Foto: Matheus Rodrigues/G1)

Mulheres se reuniram na Cinelândia, no Centro do Rio (Foto: Matheus Rodrigues/G1)

Mulheres se reuniram na Cinelândia, no Centro do Rio (Foto: Matheus Rodrigues/G1)

Mulheres protestam contra a PEC 181 na escadaria da Câmara (Foto: Matheus Rodrigues/G1)

Mulheres protestam contra a PEC 181 na escadaria da Câmara (Foto: Matheus Rodrigues/G1)

Mascarados se unem a ato contra a PEC 181 (Foto: Matheus Rodrigues/G1)

Mascarados se unem a ato contra a PEC 181 (Foto: Matheus Rodrigues/G1)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here