Com recursos do Fundo de Cultura da Bahia (FCBA), o Edital Setorial Audiovisual 2019 recebeu, entre os dias 03 de abril e 02 de maio, 561 propostas. O volume de envios praticamente dobrou em relação ao processo seletivo de 2016, quando foram apresentados 288 projetos voltados para o desenvolvimento e a difusão do audiovisual baiano.

“O aumento expressivo reflete uma demanda do setor e consolida o edital como um dos principais mecanismos de fomento da produção audiovisual do estado”, avalia o superintendente de Promoção Cultural, Alexandre Simões.

Para esclarecer dúvidas e orientar os participantes durante a primeira fase da chamada pública, a Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA) investiu no fortalecimento dos canais diretos de comunicação, por meio da Central de Atendimento Integrado. No total, foram 266 atendimentos, em 75% dos casos realizados via e-mail.  Houve, também, proponentes que buscaram o serviço presencialmente e os que entraram em contato por telefone. Na última modalidade, o protocolo de chamadas registrou todo o histórico e garantiu maior eficiência e segurança no repasse de informações.

Até o dia 4 de junho, será realizada a Análise Prévia das propostas, com objetivo de avaliar a documentação apresentada pelos proponentes. Uma das novidades desta edição do edital é que nesta etapa poderão ser feitos ajustes de ordem formal, dando oportunidade aos participantes de realizarem adequações que não alterem itens fundamentais das características da proposta.

Audiovisual – O Governo do Estado, por meio SecultBA, investe cerca de R$ 20 milhões com intuito de fomentar o desenvolvimento, a difusão e a produção do audiovisual baiano. Do total de recursos, R$ 4.905.000 são oriundos do FCBA, visando selecionar propostas em nove categorias: desenvolvimento de roteiro; festivais, mostras e eventos; cineclube; formação; curta-metragem de ficção e documentário; curta-metragem de animação; memória; pesquisa; e games. Já o Edital Setorial de Audiovisual 2019 – Fundo Setorial de Audiovisual (FSA), por sua vez, conta com um investimento de R$ 15 milhões captados do Fundo Setorial do Audiovisual da Agência Nacional de Cinema (Ancine), que serão geridos pela Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here