Na manhã da quinta-feira (22), o secretário de Saúde, Elias Natan, apresentou na Câmara Municipal, obedecendo a Lei Complementar 141/2012, o balanço das ações e orçamento do terceiro quadrimestre de 2017 da pasta. “Aproveitamos e fomos além da prestação de contas, fizemos um comparativo com o ano de 2016, mostrando o quanto avançamos”, ressalta o gestor da Secretaria da Saúde(Sesau).

Em 2017 foram investidos, com recursos próprios, 21,41% do orçamento municipal na Secretaria de Saúde, um montante de R$ 167.859.699,60. A obrigação municipal é de apenas 15%, mas refletindo o compromisso da gestão com a oferta de um sistema de saúde de qualidade, a administração investiu R$ 50 milhões a mais que o exigido.

Entre os avanços na Atenção Básica, foi destaque na apresentação a reativação de 38 salas de vacina, da coleta de preventivo ginecológico em todas as unidades, e das equipes de saúde bucal em todos os postos. Foi evidenciada ainda a implantação de duas equipes de Saúde da Família e uma de Saúde Bucal na unidade do Caminho do Mar, a presença médica em 100% das equipes de saúde da família, a convocação de 77 Agentes Comunitários de Saúde (ACS’s) e ampliando 25% a cobertura de ACS. Na ocasião foi lembrada também a requalificação de 20 unidades de saúde e a ativação de 17 salas de curativo, que em 2016, não havia nenhuma.

Na atenção especializada, o Secretário da Saúde citou a Implantação de quatro novas especialidades na Policlínica: reumatologia, psiquiatria, psicologia e nutrição, a mudança do Centro de Oncologia de Camaçari (Ceonc) para estrutura física mais adequada, a reativação do Centro de Especialidades Odontológicas (Ceo) com média de 1.400 atendimentos mensais, entrega de cadeiras de rodas para usuários do Centro Multiprofissional de Reabilitação Física (Cempre), ativação do serviço de Odontologia 24 horas, serviço social, Raio X e Acolhimento com Classificação de Risco na UPA Arembepe.

As ações do departamento de média e alta complexidade foram reforçadas com a recomposição da frota do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) através da aquisição de uma Unidade de Suporte Avançado (USA), a requalificação de três Unidades de Suporte Básico (USB), a implantação da base descentralizada do SAMU na orla e a incorporação de uma USA na frota do SAMU regional, através de cooperação entre municípios.

Em 2017 foram realizados 127.734 atendimentos na atenção especializada. Um aumento de 13.236, em comparação com 2016. Nas ações de saúde mental foram registrados 1.233, e no SAMU 24.340 ocorrências atendidas.

Sobre a Central de Regulação, Elias Natan ressaltou a Implantação do Sistema de Regulação – SISREG, que permite maior controle na marcação de consultas e exames, a descentralização para o agendamento de consultas e procedimentos nas Unidades Básicas de Saúde, com 37 pontos de marcação, 1.110.839 consultas médicas, exames e procedimentos realizados, 677 encaminhamentos ao Hospital da Mulher, 49.655 consultas especializadas realizadas, 55.940 procedimentos de fisioterapia, 853.794 procedimentos laboratoriais; e 11.178 encaminhamentos de pacientes no TFD.

Na Vigilância à Saúde foram destacadas as ações de combate às endemias como as campanhas de combate ao Aedes Aegypti, vacinação humana e animal, 745 inspeções sanitárias que resultou em 274 alvarás de saúde expedidos até 10 de dezembro, 393 coletas de amostras de água da rede de distribuição e de soluções alternativas de abastecimento para monitoramento da qualidade da água para consumo humano no município, reativação da Unidade Sentinela da UPA Nova Aliança, com o objetivo de monitorar as populações expostas a poluentes atmosféricos em Camaçari.

Por meio da Vigilância à Saúde foi feita também a reativação da vacinação antirrábica animal todas as sextas-feiras nos postos de saúde. No combate a Febre Amarela foram 43 notificações de epizootias em primatas não humanos e a realização de 21 bloqueios químicos em localidades.

Na Assistência Farmacêutica o destaque ficou por conta da ampliação da média anual para 72% de cobertura do estoque da Relação Municipal de Medicamentos Essenciais(REMUME), a reforma do espaço para atendimento aos pacientes do Programa de Medicamentos Especiais (PDME) e a compra de medicamentos,  com recursos próprios, no valor de  R$ 3.395.378,23, quando é obrigatório investir R$ 1.859.076,76, por ano. Além desse investimento, o município, por meio de captação de contrapartida do Estado e União, recebeu R$ 1.084.907,77 em medicamentos, que somado o aporto do município, totaliza R$ 4.480.286,00, superando em R$ 1.337.423,33 o investido em 2016. Finalizando o secretário lembrou que mais de 379 mil receitas foram atendidas.

“Importante destacar que com a intensificação do trabalho do farmacêutico nós conseguimos diminuir o custo médio por receita em nossa cidade. Antes esse custo era de R$ 13,21 por receita. Em 2017, investimos mais, distribuímos mais remédios e conseguimos reduzir o custo médio por receita para R$ 4,54. Isso significa um melhor uso do recurso público”, explica Elias Natan.

Fonte: Ascom/PMC

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here