Caracas viveu mais uma noite violenta na madrugada desta quinta-feira (24). Pneus queimados e bloqueios de manifestantes encapuzados foram vistos em vários pontos da capital da Venezuela.

Segundo dados da ONG Observatório Venezuelano de Conflitividade Social houve 14 mortos desde o início dos protestos, na noite de terça-feira (22), um dia antes da marcha massiva contrária ao ditador Nicolás Maduro e em apoio a Juan Guaidó, que se proclamou presidente interino.

Ainda segundo a ONG, 13 das vítimas eram homens e 1, mulher, com idades de 19 a 47 anos. Já a ONG Foro Penal afirmou que 200 pessoas foram presas nas últimas 48 horas. A intensidade da repressão aumentou no fim da tarde e início da noite de quarta-feira (23), após os discursos de Diosdado Cabello e Maduro.

Emissoras colombianas e meios alternativos da Venezuela foram checar se a população havia atendido o apelo de Cabello para “cercar e proteger o Palácio de Miraflores”. As imagens não mostravam viva alma em torno do edifício, fora as tropas de vigias que usualmente ficam por ali.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here